Brasileiros que tiveram o prazer de visitar outras nações contam os fatos que mais lhes causaram admiração – especialmente pela diferença ao que estamos acostumados

Por mais que a era digital elimine fronteiras e amplie nossos conhecimentos sobre os demais países, é praticamente impossível não se surpreender com costumes e pessoas durante viagens para o exterior. Seja a alimentação, as roupas, os costumes religiosos, a rotina ou as atividades de lazer – ou até a temperatura! –, sempre há algo que provoca um “estranhamento” – nada que impeça, contudo, que logo o hábito seja incorporado pelo visitante, ainda que apenas pelo tempo da viagem.
Nesses mais de dois anos de Zumm Ribeirão, retratamos vários países em nossas páginas e os retratos mais especiais vieram dos olhos daqueles que lá estiveram. Por isso mesmo, convidamos alguns viajantes para contar o que mais os surpreendeu durante suas aventuras. Confira!

Foto arquivo pessoal

Água fresca a qualquer
custo
“O que me divertiu em Milão, na Itália, foi ver a simplicidade das pessoas, moradoras e turistas, se refrescando a qualquer custo no calor abafado de 40 e tantos graus. Era comum passar pelas fontes e ver pessoas sentadas ao redor, com os pés dentro d’água, e crianças que escapavam um pouco das regras e se aventuravam no meio da fonte para brincar com os jatos molhados – o calor era tanto que eu também não resisti e ‘caí pra dentro’!”
Adriana Fernandes, bióloga

Foto arquivo pessoal

De volta à Idade Média
“Em Óbidos, uma vila medieval perto de Lisboa, muitos atendentes de lojas se vestem com roupas medievais, de forma com que essa cultura ainda é bastante viva na região. Há, inclusive, mais de uma loja de aluguel e venda de roupas para que os visitantes possam participar também. Assim, em julho, quando há um mercado medieval, é comum você encontrar pessoas, famílias inteiras com roupas medievais. Também fiquei encantada com uma loja chamada “Mercado Biológico”, que vendia livros, bebidas, sementes e comida, tudo junto, um ao lado do outro”.
Mariane Bovoloni, estudante

Foto arquivo pessoal

Religioso, confortável e fashion
“Nos Emirados Árabes, as mulheres usam uma veste chamada de abaya, que na maioria das vezes é preta, e os homens usam a kandura, geralmente branca. Mais que um adereço religioso, elas ajudam a suportar o calor, que muitas vezes é superior a 40°C. Outro fato interessante é que a cor preta da vestimenta feminina, apesar de não obrigatória, possibilita o uso de tecidos mais finos e leves, sem perigo de ficarem transparentes, preservando a identidade das mulheres. Usei uma kandura durante a viagem e realmente ajuda a suportar as altas temperaturas, além de ser superconfortável”.
Danillo Lucas, biólogo

Por Amanda Pioli

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA