O Colégio Einstein oferece aos vestibulandos a segurança de um cronograma de estudos seguido à risca, deixando-os mais preparados para o momento decisivo das provas

Foto Zoro Seixas

Inaugurado em 1999 e atualmente localizado na Avenida Braz Olaia Acosta, 1.380, o Colégio Einstein trabalha tanto com Ensino Médio quanto com Curso Pré-Vestibular. Uma das grandes preocupações dos coordenadores e professores da instituição está relacionada à organização das aulas e tarefas, que são a base para que os alunos possam chegar ao vestibular realmente preparados. “Para os que estão perto de prestar os vestibulares, já existe, naturalmente, uma tensão enorme. E se a escola, dentro desse período, não for organizada com as suas matérias, será mais um agravante para o estudante. Somos muito comprometidos em terminar os conteúdos dentro do período combinado. É uma gestão detalhada, feita o ano todo”, explica Eduardo Gula Sobrinho, professor e Diretor-Geral do Colégio Einstein.
Em 2017, todo o conteúdo dos professores do Colégio, segundo Gula, foi finalizado no dia 20 de outubro, sem necessidade de aulas extras. Com isso, no dia 23, iniciou-se um processo de revisão específica para o Enem, marcado para os dias 5 e 12 de novembro (dois domingos consecutivos). Após a prova nacional, o Einstein fará um novo processo de revisão voltado para outros vestibulares, como o da Unesp, Fuvest e Unicamp. “Mesmo que o estudante tenha um preparo técnico muito bom, se a escola na qual estuda não cumpre o conteúdo, ele fica desestabilizado e, a tendência, é que esteja cansado e com o lado emocional muito fraco, sem confiança, na hora do vestibular. Organização e comprometimento são nossos grandes diferenciais”.

Professor Gula, Diretor Geral do Colégio Einstein – Foto Zoro Seixas

Simulação constante
Para que os alunos não tenham grandes surpresas ao prestarem o Enem, no Einstein, eles são convidados, desde a primeira série do Ensino Médio, a realizar simulados que seguem exatamente o modelo do exame nacional, ocorrendo duas vezes por ano. “O Enem é uma prova longa, com lógica específica e de muita informação. Habituados a esse cenário, os alunos, quando forem prestar, de fato, a prova, têm um preparo técnico maior”, defende o professor Gula.
Dentro dos simulados oferecidos pelas escolas de Ensino Médio, é comum que o resultado seja avaliado apenas pelo resultado geral. No Einstein, há, além da soma, uma análise criteriosa dos pontos feitos por matéria. “Trabalhamos com fichas individuais, para que cada uma das disciplinas seja analisada, o que nos permite detectar em qual delas os alunos precisam de maior suporte. A cada bimestre, eles têm acesso a essas informações e podem se organizar para intensificar os estudos nas matérias que precisam de atenção dobrada”.
Para Isadora Pineda, de 17 anos, a organização e os simulados constantes são perfeitos no auxílio de um ensino de sucesso. A estudante, que está na terceira série do Ensino Médio e que pretende prestar Biologia, chegou ao Einstein na metade do ano passado, quando se mudou de Curitiba, com a família, para Ribeirão Preto. “Adoro a organização que o Colégio possui em relação às aulas e datas de provas. Eles nunca atrasam e, com isso, minha família consegue se organizar para viajar, quando precisamos visitar os parentes que ficaram em Curitiba”.

Foto Zoro Seixas

Coaching de Estudo
Dentro da ideia de organização, cada aluno Einstein, desde o começo do Ensino Médio, é orientado a fazer um horário de estudo individual, com o qual realiza um planejamento fora da escola, em contraponto com outras atividades que deseja realizar, como tarefas, cursos extras e prática de esportes. “É um cronograma a ser seguido e que se intensifica no terceiro ano, quando recebe uma monitoria constante. Nessa monitoria, é feita uma análise, junto ao aluno, para saber se ele está conseguindo cumprir aquilo que se comprometeu. Chamamos esse trabalho de Coaching de Estudo, por ser personalizado e voltado para cada tipo de estudante, seguindo seu perfil de vida”, explica o Diretor-Geral.
Quando é detectada no aluno a necessidade de reforço em uma determinada matéria, além das aulas matinais, o Colégio conta, no período da tarde, com aulas extras, que seguem vários modelos, como o aprofundamento e a retomada de conteúdo. “Temos ainda um trabalho importante realizado pelos Orientadores de Estudo, que são três professores à disposição, diariamente, no período da tarde, para tirar qualquer dúvida. Isso deixa o aluno e o professor mais próximos, até mesmo nas aulas normais, em que o professor já sabe das dificuldades de cada um e direciona as explicações de forma distinta”.
Vestindo a camisa do Einstein desde o primeiro ano do Ensino Médio, Alex Maus, de 17 anos, é ribeirão-pretano e afirma ter se adaptado ao ensino da escola assim que iniciou seus estudos. “Fui muito bem acolhido! Quando tenho alguma dificuldade, já consigo tirar minhas dúvidas logo no final das aulas ou até mesmo, com mais tempo, à tarde, quando os professores ficam a nossa disposição. Quero prestar Engenharia Mecânica-Aeronáutica e, dentro do meu cronograma de estudos, já estão inseridas as aulas de física e matemática extras, o que está me ajudando bastante”, finaliza o estudante.

Por Joana Mortari

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA