No 1º semestre à frente da Prefeitura de São Paulo, João Doria mostrou aos eleitores como uma gestão mais transparente pode renovar as antigas ideias de comando político 

Ele representou um grande marco histórico no cenário político de São Paulo quando foi eleito, já no 1º turno, como prefeito da maior cidade do país, com 53,29% dos votos. Em uma de suas entrevistas após a eleição, o candidato pelo PSDB afirmou que, em seu governo, seria um gestor para a cidade e pontuou a ideia “menos política e mais ação”, como um de seus focos. Estamos falando de João Dória que, desde então, mostrou aos eleitores uma postura de transparência, diferente das conhecidas pelos brasileiros. Para falar um pouco mais sobre esse perfil de liderança, ele nos concedeu uma entrevista exclusiva, na qual aproveitou para expor sua opinião sobre possíveis mudanças nas atitudes dos cidadãos de todo o país em prol de uma melhora no cenário político, não só da Grande São Paulo, como de todo o país.

Zumm Ribeirão: Você apostou em uma gestão transparente, o que gerou uma grande simpatia de boa parte dos eleitores. Como enxerga essa iniciativa?
João Doria: Muito importante, afinal, na minha opinião, qualquer ação de governo deve ter transparência absoluta!

ZR: Esse contato mais direto com os eleitores, especialmente por meio das redes sociais, traz quais benefícios ao seu mandato?
JD: O contato direto com a população e os canais abertos para manifestações e sugestões têm contribuído muito para a gestão municipal, principalmente a capilaridade das informações e contribuições por meio das prefeituras regionais. As 32 prefeituras regionais em São Paulo mantêm uma relação direta com os seus moradores, não só via redes sociais, como por meio de suas praças de atendimento, que funcionam 10 horas por dia e têm ajudado muito na melhoria da qualidade de vida dos bairros atendidos.

ZR: Naturalmente, você serve de exemplo para outros prefeitos que seguem alguns de seus passos como gestor. Como se sente com isso?
JD: Sinto que a minha responsabilidade aumenta. Mas aumenta também a determinação, porque o bom exemplo, sendo seguido, faz com que você mantenha o seu ritmo, assim como a observância de princípios, eficiência de gestão, transparência e inovação.

ZR: Liderar é sempre ter um plano na manga. Como lida com essa pressão e com as expectativas dos eleitores?
JD: Com equilíbrio e discernimento e, ao mesmo tempo, com paciência e tolerância.

ZR: Muitos estão descrentes do país. No entanto, pessoas que visam à mudança sempre precisam seguir pelo caminho da positividade. Como buscar ser positivo no momento político que vivemos hoje?
JD: Com esperança, oração e atitude!

ZR: Na sua opinião, quais posturas os cidadãos precisam adotar para que o país siga por um caminho melhor?
JD: Postura da correção dos seus atos, da verdade e da sua própria transparência no seu dia a dia, na sua empresa, casa, ambiente que frequenta e participa em termos de sociedade civil. Se puder, com cidadania, ou seja, tendo um gesto de solidariedade com outras pessoas que, mais fragilizadas, sempre irão precisar de uma mão amiga.

 

Por Joana Mortari – Fotos divulgação

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA