O frio, a falta de chuva e a concentração de poluentes no ar fazem com que várias doenças respiratórias se manifestem no inverno, demandado mais cuidados

O ar frio e seco, típico do outono e do inverno, faz com que, todos anos, os casos de alergias respiratórias, como bronquite, renite, sinusite e asma, aumentem. Segundo o SBMFC (Grupo de Trabalho de Doenças Respiratórias da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade) estima-se que, no Brasil, mais de 40 mil pessoas sejam internadas por ano por complicações da gripe e, destas, 4.000 resultam em óbitos. Em Ribeirão Preto, a situação está ainda mais alarmante, uma vez que junho e julho passaram sem uma gota de chuva – 69 dias consecutivos até o dia 1/08.

Limpar as mucosas nasais, de preferência todos os dias, tende a diminuir em cerca de 40% os problemas respiratórios, sendo considerado, inclusive, um tratamento preventivo.

Os problemas surgem porque, diante da baixa umidade, há menor dispersão dos poluentes, que pioram a qualidade do ar e irritam as mucosas respiratórias, além do frio ser mais propício para a circulação de vírus e bactérias. Como resultado, enfrentamos sintomas como ardência na garganta, dificuldades para engolir, falta de ar e tosse.
Contudo, ações simples podem provocar melhora nesse cenário. Limpar as mucosas nasais, preferencialmente todos os dias, por exemplo, tende a diminuir em cerca de 40% os problemas respiratórios, sendo considerado, inclusive, um tratamento preventivo. Esse cuidado é ainda mais necessário com recém-nascidos e bebês. Dessa forma, o recomendável é fazer a higiene do nariz deles antes de cada mamada (ou, pelo menos, 2 vezes ao dia) e de preferência com soluções livres de conservantes – o cloreto de sódio 0,9% é uma das soluções mais indicadas, pois não causa ardência, queimação e irritação. “A limpeza e hidratação nasal contribuem para manter as vias aéreas superiores limpas e em bom funcionamento. Com isso, as defesas do corpo são mais eficientes, livrando de infecções oportunistas”, explica Edgard da Veiga Lion Neto (CRM 62943/SP), médico de Rinosoro. Outra dica do profissional é utilizar lenços descartáveis ao invés dos de tecido, já que eles são mais higiênicos e diminuem as chances de propagar o vírus para outras pessoas.

Dicas para melhorar a respiração:

  • Beba bastante água (pelo menos 2 litros por dia);
  • Se exercite na hora certa (evite exercícios físicos entre 10h e 17h – quando o ar está menos úmido – e prefira ambientes com clima regulado);
  • Umedeça o ambiente (use umidificadores de ar ou coloque bacias de água em casa);
  • Lave o nariz (aplicando soro fisiológico algumas vezes ao dia);
  • Deixe a casa sempre limpa e arejada;
  • Realize a limpeza periódica de tapetes, cortinas e pelúcias;
  • Evite aglomerações.
Compartilhar
Artigo anteriorControle de gastos
Próximo artigoSegura, peão!

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA