Licitação e início das obras estão previstas para o primeiro semestre de 2018

“Hoje é um marco para cidade de Ribeirão Preto. Esse investimento no aeroporto Leite Lopes de R$ 88 milhões para o reforço e alargamento da pista, construção de turn around para manobras de grandes aeronaves, ampliação no pátio de aeronaves e ampliação do terminal de passageiros de 5 mil para 20 mil metros é um fato importantíssimo para o desenvolvimento da cidade. A Prefeitura se compromete a fazer toda a recuperação da avenida Thomaz Alberto Whately e da avenida Brasil até a rodovia Anhanguera, avenida Recife, avenida 19 de Junho e melhorar todo entorno do aeroporto para que ele tenha a infraestrutura, agora, ampliada e reforçada”.
A declaração é de Duarte Nogueira, prefeito de Ribeirão Preto, na manhã desta quinta-feira, dia 24, ao presidente da República, Michel Temer, durante a assinatura do Termo de Compromisso para liberação de recursos para o Aeroporto Leite Lopes. A solenidade foi realizada no Palácio do Planalto, em Brasília.
Os próximos passos para efetivação da ampliação do aeroporto será a elaboração do projeto por parte do governo do Estado de São Paulo, previsto para ser entregue até dezembro deste ano. A licitação e início das obras estão previstas para o primeiro semestre de 2018.
O projeto executivo será contratado pelo Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp), responsável também pela execução das obras. Dos R$ 88 milhões, o governo federal vai repassar ao Estado R$ 80 milhões, o restante será responsabilidade do governo paulista. A liberação dos recursos acontecerá de acordo com o cumprimento das etapas previstas no plano de trabalho.
Em 2016, a movimentação de passageiros no aeroporto Leite Lopes foi de quase um milhão. Já no primeiro semestre de 2017 foram mais de 446 mil viajantes, de acordo com dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Com as obras, o aeroporto terá sua infraestrutura ampliada e modernizada, que vai garantir mais segurança operacional e mais conforto aos passageiros.
Leite Lopes – Inaugurado no dia 2 de abril de 1939, a primeira ampliação da pista do Leite Lopes foi realizada na década de 1940. Em 1996, o aeroporto passou por reforma e nova ampliação.
A pista de pouso foi ampliada de 1.800 metros para 2.100 metros. A de taxiamento foi de 730 para 2.100 metros. O novo pátio de estacionamento, com 27.600 metros quadrados, poderia receber, na época, simultaneamente oito aeronaves Fokker F-100 ou Boeing B-737. Para maior proteção e segurança às operações noturnas de pouso e decolagem, foi instalada nova cabina de força, recuperado o sistema elétrico, feito o balizamento das pistas e implantada iluminação dos pátios.
Em 2006 houve uma nova reforma e a pista do aeroporto ganhou mais 15 metros na largura, passando a 45 metros, além de ter sido adicionado ao seu asfalto uma substância chamada polímero, usada também em todos os circuitos de Fórmula-1 que garante maior aderência entre a pista e os pneus.
Entre 28 de julho de 2008 e 21 de julho de 2010, foram realizadas obras de ampliação e reforma do terminal de passageiros. Após a abertura da nova ala, a antiga foi fechada, remodelada e reaberta, juntando-se à nova.
O aeroporto opera em período integral e recebeu em 2016, mais de 37 mil voos e 922 mil passageiros, tornando-se um dos aeroportos mais movimentados do Brasil, com movimento superior a diversas capitais brasileiras. O Aeroporto Leite Lopes é hoje o quarto maior do estado de São Paulo, sendo superado apenas por São Paulo/Guarulhos, São Paulo /Congonhas e Campinas/Viracopos.
Único que possui voos regulares comerciais no nordeste paulista, atendendo prioritariamente a Região Metropolitana de Ribeirão Preto, o Leite Lopes tem sua abrangência expandida até para outros estados, como a região Sul de Minas Gerais, impactando aproximadamente quatro milhões de habitantes.
Neste mês, o Daesp está investindo cerca de R$ 250 mil na instalação de uma nova cerca de alambrado no entorno do aeroporto Leite Lopes, paralela à já existente. O objetivo da melhoria é coibir a invasão por parte de menores que danificam o alambrado para entrar na área aeroportuária em busca de pipas e garantir maior segurança às operações aéreas. A cerca terá 2,8 quilômetros de extensão.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA