Eles não nasceram em Ribeirão Preto, mas a escolheram, com uma ajudinha do destino, para a realização de sonhos pessoais e profissionais

Em homenagem os 162 da cidade, celebrados dia 19 de junho, nossos entrevistados presentearam essa edição com suas histórias que, a cada palavra, transbordaram todo o amor e a admiração que possuem pelo atual endereço – o qual, muito além de um território demarcado no mapa nacional, é para eles sinônimo de calor humano, acolhimento, reconhecimento e conquistas.

“Ribeirão é uma paixão!”

Em 2007, Marcos Botelho desembarcou em terras ribeirão-pretanas com a programação de permanecer por apenas 15 dias. “Na época, eu morava em Blumenau (SC) e estava me mudando para Balneário Camboriú (SC), para trabalhar em um shopping que inauguraria lá, e fui redirecionado a Ribeirão para auxiliar, nessas duas semanas, o marketing do Shopping Santa Úrsula em um processo de reestruturação com foco pleno no empreendimento”, conta.

Contudo, essas semanas viraram meses e o gerente de marketing se apaixonou pela cidade – fato que mudou completamente seus planos profissionais e pessoais. Depois de quatro anos no Santa Úrsula, Botelho foi convidado para assumir o marketing do RibeirãoShopping, o que, segundo ele, se tornou um dos grandes presentes que a rede e a cidade lhe ofereceram. “O que mais me chamou a atenção em Ribeirão Preto foi o calor humano das pessoas, assim como a vida cultural, muito mais ativa que capitais e outras grandes cidades. Os shoppings também participam desse processo cultural. Aliás, um trabalho com o qual me identifico muito, afinal são 25 anos no ramo”.

Natural de Florianópolis (SC), o gerente de marketing recebeu o título de cidadão ribeirão-pretano há quase três anos, na mesma época em que sua esposa engravidou de Valentim.

“Para a celebração na Câmara Municipal fiz um vídeo de agradecimento. Disse aos presentes que sempre levaria Ribeirão Preto comigo, mesmo que, por algum motivo, tivesse que me mudar. E, nesse momento, coloquei a imagem do ultrassom e o som do coraçãozinho do meu filho batendo. Ninguém sabia da gravidez! Foi pura emoção!”, lembra.

Os amigos que fez, as conquistas que coleciona e o nascimento do filho são alguns dos motivos que tornam a cidade tão especial em sua vida. “Se eu puder escolher, jamais sairia daqui. Ribeirão é apaixonante! É um polo em serviços. É como se estivéssemos dentro de uma cidade grande, mas com aquela aproximação de interior. Desejo que ela continue crescendo e que os ribeirão-pretanos não percam jamais essa essência!”.

Marcos Botelho

“Estamos em uma cidade de oportunidades”

Assim que passou no vestibular da USP de Ribeirão Preto, Omar Feres não imaginava que sair de Marília (SP) e ingressar no curso de Medicina mudaria toda a sua vida, muito menos que ficaria tão vinculado a uma das melhores universidades do país até hoje. “Me formei, depois fiz residência médica em Gastroenterologia e Coloproctologia, trabalhei como médico assistente no Hospital das Clínicas, ingressei na carreira acadêmica com mestrado, doutorado, livre-docência e, há 20 anos, sou professor da USP na divisão de Coloproctologia”, conta.

Paralelamente, nos anos 1990, ele abriu sua própria clínica, a ProctoGastro, com outros sócios-doutores, a qual, atualmente, é a maior de aparelho digestivo do interior de São Paulo, com uma média de 30 médicos em seu quadro de atendimento. “Ribeirão Preto é um polo de saúde e morro de orgulho disso!”.

Aproveitando outras oportunidades que surgiram em seu caminho, o especialista acabou adquirindo, ao lado de parceiros de profissão, o Hospital São Paulo de Ribeirão Preto. “Isso foi em 2000. Algo que jamais imaginei! Nesses 18 anos, transformamos o hospital e construímos pronto socorro, centro de cardiologia, de terapia intensiva, unidade de cateterismo, serviços de cirurgias, fizemos parcerias com convênios… O São Paulo é um hospital que se desponta entre os de bom nível da cidade”.

Com a vida girando em torno desses três eixos, Omar arruma um tempinho na agenda para cuidar de seu bem-estar participando de equipes de corrida de rua. Quando o assunto é diversão, adora reunir amigos, a esposa, o filho e o enteado para cozinhar e tocar um pouco de violão e piano, relembrando a época de estudante, quando tinha uma banda. “Sempre digo que a pessoa que prova a água de Ribeirão Preto é difícil de ir embora (risos). Estamos em uma cidade de oportunidades, que me deu sucesso profissional, o amor da minha vida, meus filhos… Sou muito feliz aqui e pretendo continuar assim!”.

Omar Feres

“Ribeirão Preto é como ‘coração de mãe’”

Há 18 anos, o sonho de passar em Medicina fez com que Mariana C. Fornasieri Freire procurasse por um cursinho pré-vestibular em Ribeirão Preto. Nascida em Capivari (SP), ela passou toda a infância em Jaboticabal (SP), mas foi entre um desafio e outro, rumo a sua futura profissão, que se encontrou verdadeiramente.

“Para o início da carreira médica, Ribeirão Preto oferece a possibilidade de escolhermos entre inúmeras especialidades. Temos tecnologia suficiente para a realização de vários exames e diagnósticos, e há estrutura física para atuação na cidade”, revela.

Especialista em Terapia Intensiva, a médica se diz apaixonada por Ribeirão, um sentimento que começou ainda na infância, quando visitava a cidade juntamente com os pais. “Nós vínhamos a consultas, passeávamos no shopping e fazíamos compras de produtos e medicamentos que não encontrávamos onde morávamos”.

Além do diploma do Centro Universitário Barão de Mauá, a cidade “presenteou” Mariana com seu atual marido, que foi seu colega de faculdade. “Ficamos juntos após seis anos de formados. Ele também sempre gostou muito daqui e decidiu voltar para cá! Estamos casados há quase dois anos”.

Aos fins de semana ou quando a correria da vida profissional permite, Mariana adora passear ao ar livre nos parques ao lado do esposo e do cachorro de estimação. “Para mim, Ribeirão Preto é como ‘coração de mãe’, que acolhe e surpreende a todos que a ela chegam!”, finaliza.

Mariana C. Fornasieri Freire

“Ribeirão que me escolheu!”

Baiano, Sandro Sousa se mudou para São Paulo há mais de 20 anos para trabalhar no departamento de franquias da Bontempo. Ribeirão Preto cruzou o caminho do empresário quando a primeira loja da marca na cidade começou a se materializar na Avenida Nove de Julho. “Isso foi em 1994. Acompanhei todo o processo da abertura e, nessa época, já me apaixonei por Ribeirão”, revela Sandro.

Antes de criar raízes na Califórnia Brasileira, ele morou em São Carlos (SP), onde teve sua primeira franquia da empresa de móveis personalizados de alto padrão. Mas sempre que podia, vinha para Ribeirão curtir os restaurantes e a vida cultural. Quando a oportunidade de adquirir a loja daqui surgiu, Sandro não pensou duas vezes para fechar negócio. “Sempre fui bem recebido. Os ribeirão-pretanos são calorosos e, como sou baiano, trago esse calor humano na veia. Também gosto muito do clima. Aqui faz sol, praticamente, os 365 dias do ano! As grandes avenidas facilitam a locomoção e, em 15 minutos, vamos de uma ponta a outra da cidade”.

Mesmo não tendo nascido aqui, o empresário afirma que se sente um ribeirão-pretano nato. Casado com Marilia Sousa, conta que a esposa, natural de São Paulo, sente o mesmo carinho pela cidade. “A Bontempo oferece em sua essência essa coisa da personalização, de entender verdadeiramente o que as pessoas esperam de um móvel único. Os cidadãos daqui são exigentes, curiosos e, por isso, nos demos tão bem aqui, pois eles buscam o diferente e nós somos o diferente!”.

Sendo um dos sócios fundadores do Rotary Clube de Ribeirão Preto Boulevard, Sandro coleciona grandes conquistas nesse cenário, como o quarto lugar entre os maiores Rotarys do país logo em sua abertura. “Na realidade, acho que desde o início, foi Ribeirão que me escolheu! Quero aproveitar a oportunidade para parabenizar a cidade pelos seus 162 anos, agradecer a acolhida e torcer para que cresça sempre mais”.

Sandro Souza

FOTOS: ZORO SEIXAS/RAFAEL CAUTELLA

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA