O preço de casas, apartamentos e espaços comerciais caíram! Se você quer aproveitar o momento, destacamos alguns caminhos que podem facilitar a compra desses imóveis, seja para morar, alugar ou vender

Há um tempo estamos ouvindo sobre redução de taxas e juros, o que reaquece o mercado imobiliário, permitindo que as construtoras ofereçam preços mais interessantes àqueles que desejam adquirir imóveis comerciais ou residenciais. E quando optamos por essa aquisição como forma de investimento, ou seja, não com a finalidade de moradia, devemos levar em conta as várias possibilidades de ganhar dinheiro.

Existe por exemplo, a chance de comprar a propriedade por um preço baixo e obter um lucro rápido na revenda. É possível também comprar um terreno e construir um imóvel pensando no lucro posterior à venda, ou, ainda, a alternativa de alugá-lo. “O investidor deve se manter atento às boas oportunidades e pesquisar o máximo para ter certeza de que está adquirindo um imóvel cujo valor não está com sua valorização final, garantindo assim lucros futuros”, explica Fabiana Gastaldi Nicodemo, diretora comercial da Liftplan.

Fabiana Gastaldi Nicodemo, diretora comercial da Liftplan

Fazer as contas é essencial!

Todo investimento exige estratégia e planejamento e, por isso mesmo, é preciso analisar e colocar no papel o que será gasto, verificando se os rendimentos compensarão. Rodrigo Fernandes Araújo, um dos sócios da DPM Construtora, aponta que o ideal é comprar um imóvel que não necessite de reforma, para evitar gastos extras e otimizar o tempo do investimento, já que a demora que as modificações exigem comprometem o retorno lucrativo. “Para fugir desse cenário, uma boa alternativa são os empreendimentos ainda em fase de construção, nos quais o cliente consegue um valor de compra melhor na planta, sem a necessidade de pagar o IPTU durante a fase da obra”, ressalta Araújo.

Rodrigo Fernandes Araújo, um dos sócios da DPM Construtora

É claro que a credibilidade da empresa que está oferecendo o imóvel também deve ser analisada para garantir que a compra seja conforme foi prometida. De acordo com Luciano Marco, dos departamentos Comercial e Marketing da Stéfani Nogueira Urbanismo, Incorporação e Construção, o principal fator em qualquer relação comercial é a confiança. “Por isso, recomendo que, em primeiro lugar, o cliente escolha uma empresa de tradição, com credibilidade reconhecida no mercado e que permita uma boa negociação”.

Luciano Marco, dos departamentos Comercial e Marketing da Stéfani Nogueira Urbanismo, Incorporação e Construção

Se o financiamento for a forma de pagamento desejada pelo investidor – ficando dependente da variação de juros de cada banco e do tipo de transação realizada –, José Augusto Viana Neto, presidente do CRECI-SP (Conselho Regional de Corretores de Imóveis) indica que o investidor procure por um corretor experiente e atualizado para orientá-lo sobre taxas, prestações e percentuais necessários, como entrada, que caibam em seu bolso.

Uma das saídas que milhares de pessoas buscam diariamente é o uso do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) para auxiliar parcial ou totalmente na compra do imóvel. “Visando a que isso aconteça, existem diversos requisitos que devem ser cumpridos. É preciso uma análise de cada caso. Mas, em termos financeiros, esse é um recurso importante para que o trabalhador possa realizar o sonho da casa própria”, afirma Neto.

José Augusto Viana Neto, presidente da CRECI-SP

Qual imóvel eu quero?

Buscando que a compra do imóvel seja feita de forma satisfatória, o cliente deve ter em mente o que gostaria de adquirir, ou seja, qual a quantidade de metro quadrado o agrada, o valor que pode gastar, a localização que prefere morar ou trabalhar…. Mas será que as pessoas se preocupam e analisam todos esses pontos?

Elvio Morgatto, diretor da San Marino Negócios Imobiliários, afirma que sim. “Primeiro elas examinam sua capacidade de compra com recurso próprio ou com financiamento total. Esse é um fator que já seleciona o tipo do imóvel a ser adquirido. A localização também é importante, mas está de certa forma ligada à capacidade financeira do comprador e, claro, ao tamanho do imóvel. Por meio das ferramentas de busca e ofertas disponíveis na internet e mídia impressa, hoje, essa seleção pode ser feita antes mesmo do contato com profissional de vendas”.

Elvio Morgatto, diretor da San Marino Negócios Imobiliários

Agora, se você é daqueles que tem em mente todos os detalhes, existem algumas construtoras que oferecem serviços exclusivos de personalização dos ambientes, como é o caso da Bild, por meio do Bild Design, criado em 2014, quando a área de engenharia da empresa foi estruturada. “Dessa forma, oferecemos comodidade de prestação de serviço na execução e acompanhamento da obra, bem como garantia dos produtos utilizados. Além disso, contamos com consultoria de arquitetos com atendimento diferenciado, esclarecendo e orientando todas as dúvidas referente às especificações dos produtos disponíveis”, esclarece Maristela Orlando, gerente da Bild Design.

Maristela Orlando, gerente da Bild Design

Hora da visita

Quando o pensamento tende para o investimento em lotes para construção, antes de assinar qualquer contrato, na opinião de Andrea Tedeschi, diretora de operações da Leste Realty, é indispensável conhecer sua localização, posição solar, entorno, diferenciais, qualidade de infraestrutura, facilidades de acesso, comércio próximo, vizinhança, entre outros detalhes. “Realizar mais de uma visita ao lote contribui para que o cliente conheça todas as eventuais interferências em seu terreno. Nossa equipe do Quinta dos Ventos é qualificada para orientar os clientes sobre todas as dúvidas relativas à infraestrutura do empreendimento”.

Andrea Tedeschi, diretora operações da Leste Realty

Nesse sentido, o terreno pode ser visto como uma massa de modelar, que começa a ser trabalhada a partir de um grande sonho, mas que tem algumas limitações e precisa ser projetada pensando no futuro, como explica Welton Tadeu De Bortoli, diretor-presidente do Grupo WTB. “Dentro desta ótica, o terreno passa a ser secundário e o principal trabalho se dá no desenvolvimento da ideia. Para escolher a área é preciso conhecer as diretrizes municipais, assim como o vetor de crescimento da região, tanto no aspecto técnico, quanto no mercadológico. A participação de empresas de pesquisa, imobiliárias, arquitetos, engenheiros, paisagistas e outros agentes do mercado é fundamental para o desenvolvimento de um produto capaz de oferecer exatamente o que o mercado está demandando naquele momento. Enfim, o terreno perfeito é aquele que abriga um empreendimento pensado em todos os detalhes para atender as necessidades das pessoas que serão impactadas direta e indiretamente pelo mesmo”.

Welton Tadeu De Bortoli, diretor-presidente do Grupo WTB

Como nem todo mundo possui a facilidade de enxergar o imóvel pronto na planta, uma opção para sanar as dúvidas práticas dos clientes é o apartamento-decorado. “Consideramos essa uma maneira mais eficaz de apresentação, porque proporciona uma visualização precisa em medidas, ambientações e vivência do futuro empreendimento. Nos decorados Tecnoart, colocamos apenas acabamentos que fazem parte do memorial descritivo do imóvel, o que passa uma experiência ainda mais real e evita prováveis frustrações aos compradores em relação ao imóvel que realmente será entregue”, comenta Saulo Manfrim, diretor comercial da Tecnoart Engenharia.

Saulo Manfrim, diretor comercial da Tecnoart Engenharia

Pelo decorado ser um espaço aberto ao público, geralmente anexado aos estandes de venda das construtoras, acabam sendo de fácil acesso aos interessados. No entanto, pela experiência de Ricardo Telles, diretor da Perplan, o interessante é visitar o local entre uma e três vezes – não mais. “Isso se o atendimento do corretor imobiliário for adequado. Mais que isso, pode tornar-se desnecessariamente desgastante para o cliente final. Já nos imóveis que estão finalizados, existe a vantagem de tirar todos os tipos de dúvida in loco. Nessas situações, uma ou duas visitas são suficientes”, revela Telles.

Ricardo Telles, diretor da Perplan

Invista no sucesso

Para que as empresas possam ter equipes de venda que façam a diferença nesse mercado cada vez mais dinâmico, é necessário que seus gestores procurem desenvolver treinamentos e promovam a reciclagem constante. Essa é a opinião de João Marcelo de Andrade Barros, diretor financeiro-comercial da Habiarte, que destaca a equipe própria de vendas da construtora como uma forma de empregar no atendimento ao cliente o mesmo padrão de qualidade que mantém na concepção e na construção dos empreendimentos da marca. “Reuniões permanentes com a diretoria da empresa fazem parte da rotina da equipe comercial para que possamos compartilhar e alinhar os anseios do mercado consumidor. Mais que um produto residencial, estamos vendendo um sonho. E o consultor de vendas tem que ter isso em mente na hora de atender e se relacionar com o cliente”.

João Marcelo de Andrade Barros, diretor financeiro-comercial da Habiarte

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA