Ouve sons que lhe causam intolerância e outras pessoas não percebem? Calma, você não está sozinho!

A hipersensibilidade auditiva faz com que sons simples do dia a dia, como um toque de celular ou o barulho de um aspirador, se tornem insuportáveis, mesmo em níveis seguros. Esse sintoma se manifesta de diferentes formas e pode acometer crianças e adultos, de todas as idades, gerando dor, frustração e irritação. Muitas pessoas confundem com uma “superaudição” e, na verdade, estamos diante de um quadro de audição normal ou, até mesmo, perda auditiva. Enquanto indivíduos normais toleram até 120dB, a pessoa com essa alteração passa a ter desconforto a sons entre 80/90dB. Para se ter uma ideia, o som da fala humana em grupo costuma estar entre 40 e 70dB – há casos severos de indivíduos com hipersensibilidade que podem sentir o desconforto entre 50 e 70dB, o que torna difícil o convívio social.
O diagnóstico da hipersensibilidade deve ser feito o quanto antes para classificar em qual quadro a pessoa se encontra e qual conduta deve ser tomada. Dentre as alterações, destacam-se hiperacusia, misofonia e audiofobia.
Para entender melhor os sintomas, a hiperacusia é caracterizada por um incômodo anormal ao som. A misofonia, por sua vez, é caracterizada pelo estranhamento e até raiva de alguns sons como latido de cachorro ou unha no quadro negro. Já a audiofobia/fonofobia leva a pessoa a ter sensações de medo, sudorese, enjoo e até mesmo pânico aos sons.
A busca do silêncio ou o uso de protetor auricular não é o tratamento frente a essas situações de intolerância (aliás, pode agravar a situação). É fundamental a procura por um profissional capacitado que fará o acompanhamento e trará as orientações necessárias para o cotidiano, por meio de fontes geradoras de som, medicamentos ou psicoterapia. Procure a Sonido para mais informações!

Por Flavia Araujo Santos | Fonoaudióloga- (CRFª 2 – 11.140)
Mais informações no Centro Auditivo Sonido: Rua Casemiro de Abreu, 576.
www.sonidoaudicao.com.br

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA