Utilizamos muito esse ditado popular no Brasil quando alguém aparenta estar distraído, introspectivo ou muito pensativo…

A versão mais aceita para a famosa “morte da bezerra” conta que os hebreus tinham o costume de ofertar bezerros para Deus, em sinal de gratidão ou redenção de seus pecados. De acordo com a lenda, o filho mais novo do rei era muito afeiçoado a uma pequena bezerra que seu pai tinha e não queria que ela fosse morta, mas o rei não poupou o animal, sacrificando-o em sinal de devoção. Conta-se, então, que o menino passou o resto da vida pensando na morte da pequena bezerra, agindo de modo triste e distante de todos.

No Brasil atual, com legitimidade, encontramos muita gente pensando na morte da bezerra. Mas o “animal” agora é outro e pode ser a prosperidade substituída pela crise e pelo desemprego que nos assombra.

Nosso estímulo hoje, para você que está pensando muito na bezerra, é acordar bem cedo, parar de assistir aos noticiários da TV e planejar três atividades importantes visando começar a construir o futuro que você merece.

Assim, você muda imediatamente seu mindset sobre a vida e fica próximo de pessoas positivas e mais inteligentes, que enxergam o copo meio cheio e que certamente vão mudar a pergunta de “pensando na morte da bezerra?” para “Ei, que bicho te mordeu?”

Se gostou das dicas, escreva para nós e diga qual assunto quer que abordemos nas próximas edições!

POR MARCELO BARATELLA, Professor, Consultor, Palestrante e Treinador do Funil de Vendas (baratella@funildevendas.com.br)

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA