A batalha contra as gorduras localizadas continua ganhando novos aliados e, com isso, várias tecnologias estão surgindo, como a Criolipólise

Em 2010, o FDA (Food and Drug Administration) aprovou a utilização de um aparelho que congela a gordura (criolipólise) e promete sua redução. Depois do frenesi inicial com o equipamento, as dúvidas têm sido cada vez mais frequentes. Afinal, qual o melhor procedimento? Lipoaspiração ou criolipólise?

As vantagens da lipo em relação à crio se sustentam nos seguintes aspectos: retirada total
da gordura localizada, melhor definição do contorno corporal, resultados imediatos e possibilidade de combinar outros procedimentos cirúrgicos, como prótese de mama e enxerto de gordura no glúteo.

A lipo continua sendo o procedimento cirúrgico estético mais realizado, de acordo com as estatísticas atuais da SBCP (Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica) e da ASAPS (American Society for Aesthetic Plastic Surgery). Ao contrário do que alguns acreditam, ela não é mais arriscada ou complicada que outros tipos de cirurgia.

Em contrapartida, a criolipólise é uma tecnologia não invasiva e que reduz a gordura entre 20% a 30% – porém não é capaz de retirá-la por completo. Ela é o tratamento ideal para quem não quer ou não pode se submeter a uma cirurgia (lembrando, porém, que não é um procedimento isento de riscos).

Consegui esclarecer algumas dúvidas? Mesmo assim, é indispensável que você faça uma consulta com um cirurgião plástico especialista em contorno corporal para que ele avalie qual tratamento é mais indicado para o seu caso.

 Por Vinicius Basile

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA